Novidades

Notícias

05/04/2021

Creral constrói usinas solares no Rio Grande do Sul e em São Paulo

Compartilhe:

 A procura por uma forma sustentável e acessível de suprir as demandas por energia elétrica, fez com que a geração de energia através da luz solar apresentasse um amplo crescimento nos últimos anos. Acompanhando as evoluções e priorizando as formas que respeitam o meio ambiente, a Creral anunciou aos associados a construção de usinas fotovoltaicas próprias.

      O presidente da cooperativa, João Alderi do Prado, explica que esses investimentos deverão estar prontos ainda em 2021, proporcionando aos usuários e associados da Creral, a oferta de uma energia elétrica cada vez melhor e com valores de tarifa justos.

      “São duas áreas importantes, seguimos com os projetos de geração hídrica, e até a metade deste ano devemos ter mais duas pequenas centrais hidrelétricas prontas com participação da cooperativa, uma em Campos Novos e a outra em Videira, no estado de Santa Catarina. Mas a grande novidade, é o investimento de mais de R$ 30 milhões nas nossas primeiras usinas fotovoltaicas, aqui no Rio Grande do Sul e no estado de São Paulo”, explica Alderi.

      No Rio Grande do Sul, as UFVs São Sepé 1, 2 e 3, estão sendo construídas no mesmo local onde a cooperativa já possui a usina termelétrica, no município de São Sepé. O empreendimento ocupa uma área de 4,2 hectares, irá utilizar 8.496 placas solares, com capacidade de 1,15 kWp cada, totalizando uma geração de 3,45 MWp.

       Já em São Paulo estão sendo construídas as UFVs Iacanga 3, 4 e 5, no município de Iacanga, em uma área de 9 hectares, onde serão instaladas 9.408 placas solares, cada uma com 1,3 kWp de potência, fazendo com que essa UFV tenha capacidade de gerar até 3,9 MWp.

      Tanto a Usina São Sepé como a Iacanga irão operar no sistema de Geração Distribuída (GD) no modelo de auto consumo remoto, e já possuem contrato de entrega da energia gerada pelo período de 10 anos.

      “São projetos grandes, inovadores e que já estão em evolução, tanto no Rio Grande do Sul quanto em São Paulo, a previsão é que as usinas entrem em funcionamento até a metade deste ano. Podemos afirmar que essa nova fonte de geração certamente irá ser cada vez mais aproveitada pela Creral.”, finaliza Alderi.

Compartilhe: