Novidades

Notícias

18/11/2020

ANEEL aprova resultado do primeiro leilão de compra conjunta de energia elétrica pelas cooperativas

Compartilhe:

Organizado pelas cooperativas Creral, Cooperluz, Certhil e Cermissões, o leilão deve resultar em benefícios às cooperativas e seus associados    

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) homologou na terça-feira, 17, o resultado obtido no leilão de compra conjunta de energia elétrica organizado pelas cooperativas Creral, Cooperluz, Certhil e Cermissões, cujo objetivo foi adquirir energia de menor preço, para que isso pudesse se refletir ao associado. O certame, nesse formato, foi o primeiro realizado no país por cooperativas, e se mostrou muito eficiente.

         “Costumo dizer que as cooperativas que cooperam entre si, ganham força e alcançam resultados melhores”, cita o presidente da Creral João Alderi do Prado, “o resultado do leilão foi melhor do que o esperado, juntas, as quatro cooperativas, beneficiarão mais de 61 mil associados em 92 municípios”, ressalta Alderi.

Primeiro leilão conjunto

         Desde 2010 a Creral atua como permissionária de serviço público, e está sempre atenta às opções para fornecer uma energia de qualidade e com preço justo aos associados. A primeira possibilidade é de ter a demanda suprida pela concessionária, a segunda, também já utilizada pela cooperativa, é gerar a própria energia através das usinas, e como terceira alternativa a compra em leilões.

         A preparação do leilão foi realizada pela Alphainfra empresa com sede em Porto Alegre especializada no setor energético, acompanhada pelos profissionais das cooperativas participantes. Pela Creral estiveram presentes em todo o processo o advogado Luiz Fernando Faller e o gerente comercial, Waldir Pavlak. “Até o ano que vem as cooperativas permissionárias teriam aumento significativo na compra de energia, e o leilão foi a maneira que encontramos para comprar energia a um preço acessível e que vai impactar na redução da tarifa de todas as cooperativas envolvidas”, explica Pavlak.

         Outras cooperativas já haviam feito leilões, mas de forma individualizada, sendo este o primeiro leilão de compra conjunta de energia. “O desafio era reunir as demandas de várias cooperativas e criar um bloco de compra, e conseguimos montar um grande volume de energia, isso atraiu empresas para vender, e possibilitou alcançar um valor bem abaixo dos leilões individuais realizados anteriormente, sem dúvida o resultado foi excelente” destaca Faller.

         A compra no mercado livre garantiu às cooperativas participantes adquirir energia até o ano de 2040, pagando R$ 133,88 o megawatt, “um valor excelente, sendo praticamente a metade do que pagamos hoje e passaríamos a pagar após o reajuste no próximo ano, onde o valor chegaria próximo dos R$ 300,00”, explica Alderi.

“Sucesso do leilão é sucesso do associado”

         A motivação para participar do leilão foi devido a maioria dos associados serem agricultores, e daqui a três anos o desconto da tarifa rural também chega ao fim, fato que já está elevando o valor aos produtores. E essa situação é uma preocupação da Creral, considerando que a cooperativa é originariamente rural e tem 78% de associados nesta classe de consumo.

         Com o valor alcançado no leilão o custo de compra da energia vai reduzir, mas  os esforços da Creral não param por aí, a cooperativa segue em busca de ações para conseguir reduzir o custo da Tarifa de Uso do Sistema de Distribuição (TUSD) , ou seja o valor que é pago para utilizar a rede elétrica, por isso estão sendo projetadas a construção de subestações de alta tensão, tornando  possível reduzir o valor, o que trará ainda mais reduções nas contas.

         “Todo o sucesso do leilão, e das ações desenvolvidas pela Creral, mostram o sucesso do associado, a cooperativa nasceu para levar melhoria ao campo, e há 51 anos essa continua sendo nossa maior motivação, nossa energia é para melhorar a vida de todos”, conclui o presidente da Creral, João Alderi do Prado.

Compartilhe: